Aulas de ritmos em academias

Identificar os objetivos das pessoas com relação à atividade física pode ajudar na prescrição da melhor atividade para cada indivíduo. Porém, se você fizer um exercício de conversar com os clientes em uma academia, perceberá que, independente do que esteja registrado com relação aos objetivos de cada um, todos procuram algo em comum: melhorar a autoestima e serem aceitos nos grupos do qual participam.

Uma das melhores formas de se trabalhar isso é com atividades lúdicas e uma das que mais atrai participantes é a dança. E dentro de uma academia, a dança vem em forma de aulas de ritmos. São os mais diversos que podem ser implementados com aulas coreografadas ou não e que permitem aos participantes terem alguns momentos de diversão: se você consegue propiciar aos participantes de suas aulas momentos de prazer em meio à rotina atribulada de cada um, tenha certeza que você será muito bem sucedido! Muitas vezes, o caráter didático das aulas fica em segundo plano.

Aulas de ritmos podem elevar a autoestima das pessoas

Mas apesar de ser uma atividade lúdica, é necessário que o professor faça um bom planejamento de suas aulas para que os alunos sempre voltem e elas estejam sempre cheias. Algumas estratégias podem ajudar o profissional que atua nessa área e é exatamente sobre isso que o professor Bruno Dorleans vai falar em seu curso “Ritmos em Academias” no 6º Congresso Carioca de Educação Física.

O professor Bruno é professor da rede de academias A! Body Tech, integrante da Troupe Dance do Brasil e coreógrafo de diversos artistas famosos, dentre eles Ivete Sangalo, Parangolé e É o Tchan. Agora você vai poder aprender as melhores coreografias que você vê na TV e poder aplicá-las nas suas aulas de ritmos. Não perca a chance de ter contato com esse profissional e aproveitar toda a experiência que ele vai passar aos participantes do curso.

Confira se você tem direito a algum desconto e faça logo sua inscrição!

 

Gostou desse artigo? Compartilhe, comente!

WhatsApp do 15CCEF
Enviar